Escolha uma Página

MOONSPELL  26/04/2018

CARIOCA CLUB

Angelo Costa Saggio

Os portugas do Moonspell estiveram em nossas terras para divulgar o aclamado álbum 1755 lançado em 2017,cantado totalmente em portugues que conta sobre o terremoto de 1755 em Lisboa,além de Sampa a tour passou no festival Abril Pro Rock em Recife,Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Aqui em São Paulo a apresentação foi na ultima quinta 26 de abril,trazendo um set list baseado no álbum 1755,incluindo clássicos sons de várias fases da longa carreira da banda,que já chega nos seus 25 anos com 11 álbuns no currículo,levando seu gothic/dark metal,ao longo dos anos aperfeiçoando ainda mais sua música experimentando até elementos eletrônicos.

A álbum 1755 ficou entre os melhores de 2017,se mostrando extremamente cativante e viciante a cada nova ouvida,a formação da banda é bem estável,a frente temos Ricardo Amorim guitarra,Pedro Paixão teclado Aires Pereira baixo,Mike Gaspar Bateria e completando o time a fera o carismático Fernando Ribeiro no comando dos vocais.

O Show

Vamos ao show que teve inicio exatamente às 21h00min,Fernando Ribeiro chega arrebentando numa bela interpretação para Em nome do medo,com a lanterna em mãos para deixar aquele clima ainda mais sombrio, galera canta em uníssono esse já clássico.

O Baixo poderoso inicia a sonzeira 1755,Fernando comanda caracterizado de médico da peste,levando aos presentes toda a atmosfera da letra,banda tocando muito bem e com peso,Fernando chama a galera pro agito que responde muito bem.

Outro já clássico chega com In Tremor Dei,banda acertou em cheio cantando em português, galera tem os sons na ponta da língua e não para de bater cabeça,na cola o riff na lata anuncia a poderosa Desastre,Fernando com muita carisma cativando a galera,a banda entregue e com sangue nos olhos com altos backing vocals.

Fernando agradece a presença da galera e na cola mandam a pesada Night Eternal,com aquele refrão na lata, em seguida Opium chega com tudo,com aquela veia gothic metal a lá Paradise lost bem latente,um arregaço que a galera aplaudiu bastante.

Awake pede passagem com a banda tocando e encantando a galera,que canta e bate cabeça seguindo a cadência de suas belas notas,logo chegam com a melodia viciante de Ruínas,ótimos riffs e melodia marcante que faz com que Fernando debulhe numa interpretação maravilhosa.

Destilam o já clássico Breathe,canção é um absurdo de boa pois cola na mente literalmente,além de ter peso e melodia lado a lado, galera super empolgada agitou e pulou demais.

Não poderia faltar o já clássico Extinct,com aquele refrão e peso, perfeita pra bater cabeça sem dó,logo mais uma do álbum 1755 com Evento,riffs rápidos e certeiros,uma cacetada com aquele teclado ao fundo pra dar uma quebrada na melodia e fazer a galera agitar.

Com direito a uma cruz com lasers vermelhos em mãos Fernando vem nos mostrar a emblemática Todos Os Santos,numa performance primorosa da banda quanto da galera que não parou um segundo de cantar.

Com seu sobretudo de capuz chegam para mostrar o clássico dos clássicos Vampiria,com aquele clima dark que é a marca registrada da banda,encantam os presentes com Fernando debulhando com todo seu carisma e simpatia.

Hino dos hinos com Alma Mater, galera vibra e canta em uníssono seu refrão preciso,Fernando empolgado desce na pista para alegria da galera que se inflama ainda mais.

A enigmática cover dos Paralamas do sucesso vem a tona,mandam uma interpretação de ficar com o queixo caído,Fernando com a lanterna em mãos pra deixar o negócio ainda melhor,galera ovacionou e cantou o som de ponta a ponta,ao fim com todo merecimento bem inflamada fez coro com o nome da banda.

Fazem uma pequena pausa e voltam pro bis com Everything Invaded,sonzeira com peso e aquele clima dark,galera canta bem empolgada,logo Scorpion flower pede passagem com Fernando fazendo a canção ainda melhor que já é,pois o que ele imprime com sua carisma e presença de palco é mais que perfeito.

Com toques folclóricos mandam a imprescindível e cantante Ataegina,Fernando comanda a festa com muita personalidade e intensidade,e pra finalizar a clássica e doom Full Moon Madness, presentes não param de levantar seus braços e agitar,aquele refrão nas alturas que você vai cantando pra casa bem alto até ficar rouco de tanta emoção que a banda passa com sua melodia,o guitarrista Ricardo Amorim vem a frente e faz um belo solo, Fernando até toca um pouco de bateria mandando ver nos pratos enquanto Mike Gaspar detona nos bumbos,quê interpretação pomposa e inesquecível de Fernando,uma noite pra ficar na memória dos presentes,uma pena que não lotou a casa.

E assim finalizam a apresentação ás 22h50min,ou seja 110 minutos com uma banda mostrando muita sincronia,eficiência e emoção,passando realmente na melodia das musicas tudo que as letras dizem.

Setlist:

1. Em nome do medo
2. 1755
3. In Tremor Dei
4. Desastre
5. Night Eternal
6. Opium
7. Awake!
8. Ruínas
9. Breathe (Until We Are No More)
10. Extinct
11. Evento
12. Todos Os Santos
13. Vampiria
14. Alma Mater
15. Lanterna dos Afogados (Os Paralamas do Sucesso Cover)

Bis
16. Everything Invaded
17. Scorpion Flower
18. Ataegina
19. Full Moon Madness

Agradecimentos a Overload e The Ultimate Music Pres pelo credenciamento e atenção a nossa equipe da Black Rock.