Escolha uma Página

Corrosion Of Conformity 12/05/2018

VIC  CLUB

Angelo Costa Saggio

Desde 82 na ativa a lenda Corrosion Of Conformity ou se você preferir C.O.C. está na ativa trazendo seu Crossover/Sludge/Southern Metal, com álbuns importantes e marcantes como Eye for an Eye (84),Animosity (85) ,Blind (91) ,Deliverance (94) e Wiseblood (96),chegam aqui em nossas terras para mais uma tour,desta vez com  Pepper Keenan já que em 2013 vieram sem ele divulgar o petardo Corrosion of Conformity de 2012.

Chegam para dois shows em nossas terras,além de Sampa,passou também pelo Rio de Janeiro no dia 13/05,no Teatro Odisseia.Os shows são para divulgar o petardo No Cross No Crown lançado agora em Janeiro deste ano,que tem aquela pegada das antigas e vale muito a pena ouvir no talo e viajar em suas melodias,além do Brasil a turnê que a banda fará pela América Latina,terá shows na Argentina, Chile e Méxic

A formação conta com três membros originais,Mike Dean (baixo e vocal),Woody Weatherman(guitarra e vocal) e Reed Mullin (bateria e vocal),além do monstro,o guitarrista e vocalista Pepper Keenan que retornou em 2014,Pepper tem sua importância pois é um ótimo compositor e show man,além de trazer suas influencias de Sludge e Southern Metal que foi a sonoridade que alavancou a carreira da banda nas alturas,para essa tour Reed Mullin não pode  participar devido a uma cirurgia no joelho,e foi substituído por John Green.

Para abrir apresentação dos mestres tivemos 2 bandas nacionais com Uganga e Axes Connection,Uganga é oriunda do triangulo mineiro vem sendo um dos melhores grupos de Thrashcore do nosso Brasil, divulgando o DVD Manifesto Cerrado,a banda chega em 25 anos de estrada, quatro álbuns de estúdio, um álbum ao vivo e turnês pela  Europa, na formação temos Manu Joker (vocais) Christian,Thiago e Murcego fazendo o paredão de 3 guitarras,Ras (baixo) e completando Marco (bateria).

De Porto Alegre chega o heavy metal da Axes Connection que está desde 2015 na ativa, na formação Márcio Machado vocais, guitarra com Marcos Machado (ex-Distraught),no baixo Magoo Wise (ex-Distraught, ex-Apocalypse) e fechando na bateria Cristiano Hulk (ex-Vômitos e Náuseas, ex-Grosseria),o quarteto mais que experiente pratica um heavy bem na lata,na discografia tem o petardo A Glimpse of Illumination lançado ano passado que teve a produção de Benhur Lima ex baixista do Hibria,por aí já dá pra ver que é coisa boa e vale a pena parar pra ouvir,ouça no youtube e no soundcloud a cover pro clássico She Sells Sanctuary do The Cult e seu single Use The Reason.

Vamos aos Show

Uganga

Devido a questões de horário de trabalho só consegui chegar ao local a tempo de ver a apresentação do Uganga, quem presenciou Axes Connection me contou que foi uma ótima apresentação e uma bela estréia nos palcos paulistas.

Exatamente ás às 18h35min o sexteto sobre ao palco e bem na lata destilam Guerra,som de atitude e  punch,Manu anuncia a pedrada Nas entranhas do sol,mais cadenciado  e trabalhado, além de belas palhetadas.

Segue baile com O Campo,uma rifferama infernal pra doer o pescoço,Manu diz que essa é uma homenagem pra Minas Gerais e a porrada come solta no clássico do Sepultura com a cover Troops of Doom.

Manu diz que vai vir som novo,comenta que tem um tempo que usam 3 guitarras,e destilam Aos pés da grande árvore,feita com riffs rápidos, precisos e intensos.

Na primeira batida inicia Fim de festa,um dos melhores sons da noite com momentos mais cadenciados se alternando com rápidos,além de Manu que não para de agitar.

A última da noite é Fronteiras da Tolerância, paulada de doer o pescoço, uma das mais rápidas da noite,refrão nas alturas,distorção e sangue nos olhos,e assim terminam essa ótima apresentação ás 19h10min de muita atitude e entrega, agradecendo a galera que ovaciona o sexteto.

Corrosion Of Conformity

Iniciando ás 19h45min, notas de baixo e bateria anunciam que a banda tá chegando com a sonzeira instrumental Bottom Feeder(El que come abajo),Pepper pega sua guitarra e já mostra o que está por vir,logo já  emenda com a cacetada The Luddite do álbum novo, com aquele peso e riffs de endoidar a mente.

Galera inflamada ovaciona e sem mal respirar nos trazem o clássico Broken Man, para levar os presentes a loucura que cantam com sangue nos olhos seu refrão(Cause you’re a broken man in a broken land).

Corrosion  a galera canta sem parar,logo a banda manda Señor Limpio,riffs eficientes que martelam  na mente junto com seu refrão,C.O.C. ecoa da galera sem parar,a banda agradece e logo destilam solos anunciando a canção Long Whip/Big America,belos solos,linhas de baixo marcantes,e aquela quebradeira com  intensidade que convida a galera puxar o refrão.

Pepper anuncia o clássico Wiseblood, ele comanda e interpreta com muita presença de palco, galera pira nos riffs e solos,na cola mais clássico com Who’s Got the Fire, galera delira na melodia e peso que a banda emana, além do refrão potente.

Muita distorção indica que chegou som do petardo novo com Wolf Named Crow,galera responde ecoando o refrão a plenos pulmões, Pepper diz que é a primeira vez que tocam essa canção.

A rápida e direta Seven Days é a pedrada da vez,aquele soco no estômago pra quebrar o pescoço e perder a voz literalmente;na cola chegam com Paranoid Opioid, imagina aquele riff pra fechar o olho e viajar em sua melodia que te prende nota a nota.

Das antigas chegam com 13 Angels,galera inteira e banda batendo a cabeça pra curtir essa sonzeira intensa com ótimos backing vocals e riffs viciantes.

Clássicaço na área com Vote With a Bullet, Pepper executa com propriedade suas notas cheias de feeling e distorção com solos competentes, além daquela quebradeira descomunal das baquetas.

No primeiro acorde a galera já abre aquele sorriso pro hino Albatross,cantam em uníssono curtindo cada nota, ao fim galera solta os gritos C.O.C. repetidamente até cansar.

Banda faz uma pequena pausa e voltam pro bis com outro hino de nome Clean My Wounds,aquele riff e refrão que ficará na mente da galera por um bom tempo,Mike Dean faz uma graça mostrando sua habilidade nas quatro cordas,John Green quebra tudo nas baquetas e aproveita pra entrar na brincadeira com Pepper que distorce tudo e mais um pouco,aproveita para apresentar a banda,o que mais impressiona é o sincronismo da banda onde tudo é praticamente perfeito em quase 12 minutos de som,baita show e com certeza um dos melhores do ano, galera grita sem parar C.O.C.,e assim terminam a apresentação ás 21h15min,noventa minutos que jamais irá sair da mente da galera,apresentação extraordinária em sua concepção da palavra,Corrosion Of Conformity é lenda,banda ao fim saúda a galera e promete que logo retorna em nossas terras para mais apresentações insanas como essa,público não chegou a lotar a casa,mas compareceu em bom número e foi muito presente no show.

Agradecimento a e LP Metal Press,Solid Music e Mike William pelo credenciamento e atenção a nossa equipe da Black Rock.

Set List Corrosion Of Conformity

1-Bottom Feeder (“El que come abajo”)

2-The Luddite

3-Broken Man

4-Señor Limpio

5-Long Whip/Big America

6-Wiseblood

7-Who’s Got the Fire

8-Wolf Named Crow

9-Seven Days

10-Paranoid Opioid

11-13 Angels

12-Vote With a Bullet

13-Albatross

Bis:

14-Clean My Wounds

 

Set List Uganga

1-Guerra

2-Nas entranhas do sol

3-O Campo

4-Troops of Doom (Cover Sepultura)

5-Aos pés da grande árvore

6-Fim de festa

7-Fronteiras da Tolerância

 

Set List Axes Connection

1 – The Meaning Of Evil

2 – Rearrange Yourself

3 – Wisdom Is The Key

4 – Use The Reason

5 – Prepare Your Soul

6 – She Sells Sanctuary(The Cult Cover)